[Diário de Designer] Concept Board

Em um texto anterior eu falei sobre a importância de se preservar documentos e ideias de seu projeto de jogo, afinal, nunca se sabe quando ideias descartadas serão reutilizadas ou quando você precisará entender sobre o seu próprio processo de criação para amadurecer como designer. Este texto que escrevo agora não seria possível sem a preservação deste material, pois, por mais que a imagem que apresento para vocês tenha sido construída tardiamente no processo de criação, ela ajudou e ainda ajuda no desenvolvimento e reinterpretação deste jogoA imagem se trata do Concept Board do jogo Aventuras Ancestrais.

 

O que é um Concept Board?

O concept board, ou em uma tradução livre, o painel conceito, trata-se de um quadro com referências imagéticas e textuais que solidificam e tornam apresentáveis a ideia inicial de seu projeto. Descrições de como cada elemento será utilizado podem aparecer e, se possível, até montagens podem ser feitas para a criação de uma maquete virtual da sua ideia antes mesmo de desenvolve-la. 

 

Porque fazer um Concept Board?

Além do motivo já exposto na prática aqui, o da preservação para reflexão futura, o concept board permite, como já dito, solidificar e organizar ideias. Além disso, a pesquisa para a criação do painel acabará revelando referências que talvez você não tivesse tido anteriormente. Por exemplo, quando pensei em um jogo narrativo no paleolítico no Rio Grande, eu já tinha em mente as pinturas rupestres e a ideia de um RPG, mas eu não teria imaginado tão bem uma das propostas do jogo se não tivesse encontrado a arte sobre a socialização e contar de histórias em um abrigo de uma família de caçadores. Enquanto as imagens rupestres me deram um norte do visual e da experiência imaginativa, a imagem do contar de histórias em diálogo com a imagem do jogar RPG me fez organizar ideias e consolidar um dos pilares do jogo: Criar e contar histórias de um período ancestral.

 

A importância da preservação na prática

No momento, estou dando os toques finais na modalidade RPG do jogo de cartas, e revisitar o Concept Board foi importantíssimo para elaborar um conjunto de movimentos opcionais (mas que certamente, após testes, se tornarão obrigatórios) que ganharão um post em breve.  Foi olhando para este documento do processo de desenvolvimento do jogo que me veio a seguinte ideia:

Criar e contar histórias de um período ancestral não é só um pilar do jogo, é um resgate de uma experiência que possivelmente já era feita há 10 mil anos. Transmitir ensinamentos por meio de histórias registradas em textos, imagens, cânticos ou pela simples transmissão hereditária, é uma tradição humana espacialmente universal e talvez de tempos imemoriáveis. Nesse sentido, é fácil imaginar histórias de caça sendo ouvidas com tanta empolgação quanto o grupo de RPG ouve sobre as consequências de seus movimentos. Um grupo de pessoas reunidas para socializar histórias e feitos incríveis. Estamos aqui reimaginando experiências de milênios atrás, não só nas mecânicas e na ficção, mas no próprio ato de jogar.

Foi a partir do ato de revisitar esse documento sobre o processo de criação do jogo que surgiu a ideia acima, e foi dessa ideia que surgiu uma nova maneira de pensar o início e o fim da aventura/sessão em Aventuras Ancestrais (que em breve será postada no blog).

 

Mas afinal, como fazer um concept board?

Bem, essa parte é bem simples e não é a única forma, é apenas a forma que eu faço:

  1. Use de papel e lápis, powerpoint, editor de imagem ou a ferramenta que você for mais familiarizado.
  2. Escreva o nome de seu projeto e um resumo de sua ideia.
  3. Caso queira, antes de seguir para o próximo passo, você pode fazer a parte uma pesquisa para um mood-board
  4. Busque por imagens que representem o conceito visual, a experiência proposta, jogos com mecânicas ou mesmo uma organização na mesa semelhante ao que você deseja, e imagens que representem a ficção dentro de seu jogo (Claro, considerando que não se trata de um jogo abstrato). Busque por imagens que representem as referências que você já tinha e por imagens que apresentem novas ideias ou referências.
  5. Organize tudo no quadro, dando destaque para o que é mais central no jogo. Se o Concept Board for feito apenas para você, organize da forma que achar melhor, mas se for feito para outra pessoa, lembre-se que nós ocidentais lembos da esquerda para a direita e de cima para baixo. É interessante que informações importantes venham primeiro. Confesso que não fiz isso. Segui organizando pela ordem de conceito visual – ficção – experiência lúdica. Por outro lado, é evidente a preocupação pelo visual e experiência de jogo, em destaque pelo tamanho em comparação com as outras duas imagens.
  6. Escreva legendas ou textos para cada uma das imagens ou para o conjunto delas, para que você organize suas novas ideias e registre-as para o futuro.

 

Não há segredo na construção de um Concept Board e se trata de uma ótima ferramenta para organização, preservação e apresentação de ideias. Por isso, aconselho fortemente que você se aproprie e reinvente a proposta do Concept Board para que seu jogo possa ser repensado a qualquer momento, assim como Aventuras Ancestrais foi e está sendo.

 

O que acharam da ideia? Já conheciam e haviam utilizado? Comenta abaixo suas experiências com a proposta ou com o texto. 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: